sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

BATI NA MINHA MULHER...NOSSO CASAMENTO PRECISA MUDAR DE UMA VEZ POR TODAS


Abaixo trecho de uma carta recebida de um leitor que pediu para não ser identificado.


LEITOR: Sou casado há 8 anos e tive muitas brigas com minha esposa. Nestas ocasiões sempre acabo perdendo a cabeça e falando besteiras.Na última briga que tivemos acabei chamando a minha esposa de lixo, disse  que ela era nojenta e outras palavras de baixo calão, que prefiro nem mencionar tamanha é a vergonha. Pra piorar as coisas acabei dando um tapa no rosto dela, a puxei pelo cabelo e a joguei sobre o sofá. Ela começou a chorar, correu e trancou-se no quarto. Passou uma hora mais ou menos e ela saiu de lá com malas e tudo, dizendo que ia embora pra casa dos pais dela, que não aguentava mais ser massacrada com palavras e agora ainda por cima ser agredida fisicamente e que pediria o divórcio. Enquanto ela dizia que ia embora chegou uma viatura policial na porta de casa.Ela tinha ligado pra polícia enquanto estava trancada no quarto.  A polícia registrou a ocorrência enquadrando-a na lei Maria da Penha. O policial a ouviu, depois a mim também. Por fim, ela pediu que a viatura a deixasse na casa dos pais e assim ela se foi. Eu estou desesperado.  Apesar das brigas ainda gosto dela. O problema é que ela fala de mais, me irrita e eu acabo explodindo. Mas não queria que fosse assim. Será que há chances dela me perdoar por tê-la agredido? Não queria ter encostado a mão nela, mas acabou acontecendo. Foi a primeira vez que isso aconteceu. Será que pode-se jogar fora um casamento por conta de uma única agressão física durante 8 anos de convivência? Sei que o casamento é sagrado pra Deus e já faz 3 dias que ela saiu de casa e não atende as minhas ligações. O que eu faço? O pior é que estou começando a achar que ela tem razão.Tô me sentido um covarde e acho que nosso casamento precisa mudar de uma vez por todas...Me ajude.


RESPOSTA: Sinto muito por tudo que lhes aconteceu e pelo o estado em que você se encontra, mas preciso ser sincera com você. A sua atitude de bater em sua esposa foi péssima. Penso também como foi a primeira vez que você fez isso, ela poderia ter lhe dado mais uma chance e não chamado a polícia, mas chamou...Você a agrediu fisicamente: 

I - a violência física, entendida como qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal;

Você sabe bem disso como ressaltou no texto, e em várias outras brigas mesmo que não tenha agredido fisicamente como relatou também, vc a agrediu com palavras. E isso é agressão psicológica. Veja aqui o parágrafo ll do artigo 7,do capítulo II da Lei Maria da Penha que fala DAS FORMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER:

II - a violência psicológica, entendida como qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da auto-estima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação; 

E muitas vezes este tipo de violência fere até mais do que  um tapa, um empurrão, um chute ou um aperto.Ouvir do marido que se é um lixo, que se é nojenta ou quaisquer coisas do gênero, destroem a a auto-estima feminina. Pode até ser que recupere, mas demandará tempo. Você praticamente se tiver a chance terá que reconquistá-la. Além da dor física, a lembrança do momento,  é terrível. As palavras de insulto...Muitas mulheres não conseguem esquecer isso e não conseguem mais ter admiração pelo marido. Ficam a olhar para eles e imaginando que aquelas mãos que a agrediram a toquem num outro momento, que acariciem, etc. Causa um trauma muito grande. E muitas não conseguem nem mais tocar no marido, sentem medo, aversão...

É claro que sua mulher também te provocou, etc. Ela tem a parcela de culpa dela. Normalmente ninguém está isento de culpa. Mas ainda sim isso não justifica bater numa mulher. Você poderia ter evitado isso.

Sugiro também que tenha cuidado que depois do episódio não acabe cometendo outro tipo de violência contra a sua mulher, a chamada violência moral

V - a violência moral, entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.

Portanto, seja discreto e não saia falando o que aconteceu para outras pessoas. Isso pode tomar proporções enormes...Esse cuidado também cabe a ela, senão daqui a pouco você será conhecido por todos os cantos da sua cidade como o agressor, violento, etc...ainda mais porque moram em cidade pequena.Essas questões trazem prejuízos de ordens diversas, atrapalha no trabalho, na faculdade (se a pessoa estuda), nos ciclos sociais onde frequenta, na igreja, etc...

De todo o meu coração o que desejo é que vocês dois se reconciliem. Que ela possa lhe perdoar pela agressão física e verbal e você a ela também por qualquer coisa ruim que tenha dito. Se até as autoridades policiais na hora de atender ocorrências desse nível, incentivam os casais a se entenderem, quanto mais eu que me proponho a auxiliar as pessoas com crises conjugais. Deus nos deixou o exemplo.Ele nos chama à reconciliação. Proveu um meio de nos reconciliarmos com Ele, que é SEU FILHO JESUS. Se Ele em toda sua majestade fez isso por nós, nos perdoando por meio de Cristo, como ele não irá requerer o mesmo de nós uns para com os outros? O caminho do perdão, da reconciliação é sempre o melhor. 

E você está certo: seu casamento precisa mudar. Faça a sua parte. Cumpra os seus papéis. E por favor: Não a agrida novamente. Vocês precisam sentar e conversar, buscarem a Deus. Essas brigas  que vem acontecendo ao longo do casamento de vocês, são sinais de que as coisas realmente não vão bem. Pra começar a consertar isso, sugiro que compre um cartão e escreva um pedido de perdão e junte a um belo buquê de flores, e mande entregar na casa da mãe dela. Ainda no cartão, deixe claro que a ama e que está arrependido do que fez e que isso não se repetirá mais. Ore, busque a Deus pelo seu lar. Muita coisa começa a dar errado na vida conjugal quando deixamos de atentar para simples e preciosos conselhos de Deus de como viver a vida comum do lar. Nos falta muitas vezes sabedoria. Peça-a Deus de todo coração. Se possível, frequente cursos para casais, compre livros do gênero. Isso lhes ajudará muito. Leia alguns posts aqui do blog e de outros. O blog salvemeucasamento.blogspot.com.br também é muito bacana, dentre outros.Deus o abençoe.

2 comentários:

  1. Acredito que estou no mesmo caso porém creio que não aja volta conselho siga sua vida eu já errei assim é mulher guarda as coisas melhor eh sair de casa bateu uma vez vai dia vai três até tragédia chegar .

    ResponderExcluir
  2. Acredito que estou no mesmo caso porém creio que não aja volta conselho siga sua vida eu já errei assim é mulher guarda as coisas melhor eh sair de casa bateu uma vez vai dia vai três até tragédia chegar .

    ResponderExcluir